O oposto de Estilos de Liderança Autocrática

Embora as vantagens e desvantagens de estilos de liderança não são sempre facilmente evidentes, uma coisa é certa – ser decisivo e evitar táticas de Estilos de Liderança Autocrática é necessário para o sucesso de líderes e negociadores. Navegar nessas águas traiçoeiras pode ser extremamente desafiador, mas também pode dar origem a decisões criativas que ajudam a resolver divergências de formas inesperadas. Poucas pessoas equilibram esses riscos e recompensas mais do que os líderes políticos potenciais.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe interveio em uma disputa crescente entre empresários e trabalhadores de formas que sejam de interesse para qualquer um que espera para gerenciar conflitos entre as partes, sem causar mais problemas do que benefícios.

Abe foi reeleito primeiro-ministro do Japão em 2012 com a promessa de reviver a economia estagnada do Japão. Abe criou um pacote de estímulo considerável através do Banco do Japão e estendeu esse estímulo para as empresas japonesas.

Shinzo Abe Revive Estilos de negociação tradicionais e táticas de negociação no Japão

Um ano depois, os resultados foram bastante positivos. A economia estava crescendo e o valor do iene começou a cair. Maior produção na economia criou aumento da demanda por trabalhadores, e Abe aproveitou a oportunidade para implementar o último pilar de suas reformas – um imposto de 3% sobre as compras dos consumidores. Foi quando tudo desmoronou.

O imposto de consumo revelou que décadas de salários estagnados tinha trazido muitos trabalhadores japoneses à beira da ruína financeira. Os gastos dos consumidores caíram vertiginosamente. A economia rapidamente voltou para o vermelho, as grandes corporações continuaram a transformar lucros em uma combinação de exportações e apoio do governo. Enquanto isso, os trabalhadores recém-tributados viraram-se para o primeiro-ministro em busca de respostas. Para salvar o dia, Abe voltou-se para um ritual de primavera negociação chamado Shunto.

Nas décadas seguintes à Segunda Guerra Mundial, Shunto sinalizou o início de negociações salariais anuais entre líderes empresariais e trabalhistas, muitas vezes levadas a cabo no contexto de protestos de trabalhadores em todo o país. O boom econômico japonês da década de 1980 virou o jogo, no entanto, e nas últimas décadas a influência em declínio dos sindicatos reduzida Shunto a uma mera formalidade.

Em fevereiro, Abe assinalou que este ano seria diferente.

Na esperança de aumentar a despesa pública, Abe deixou claro que este ano o Shunto deveria levar a aumentos mensuráveis ​​nos gastos com salários. Apesar das preocupações que a sua intervenção seria vista como uma tática de liderança autocrática, Abe conseguiu fazer com que um punhado de grandes corporações a se comprometerem com maiores salários. Dois meses depois, sua escolha de participar do Shunto rendeu frutos.

Vantagens e desvantagens de Estilos de Liderança – Estratégias de Negociação do japonês Shunto

Dos muitos tópicos valiosos de revitalização das negociações do Shunto de Abe, um punhado são importantes para qualquer líder expandir o valor em um negócio desafiador.

  1. Você não tem que reinventar a roda– Shunto pode ter perdido algum vigor ao longo dos anos, mas tem longa data de valor cultural dos trabalhadores e das empresas. Ao invés de inventar um novo processo, ele pode ser benéfico para contar com os já existentes e os entendimentos pré-existentes que eles criaram.
  2. Identifique o seu público– Abe deseja que empresas prosperem, mas também precisa do apoio de todos os cidadãos. Escolher o fórum adequado para apoiar os trabalhadores molda a negociação e sinaliza uma consciência compartilhada valorizado a um eleitorado mais amplo.
  3. Defina expectativas razoáveis​​- Abe viu a necessidade de participar desse Shunto, mas perderia o apoio de empresas, se ele fizesse isso a cada ano. Em vez disso, os representantes do Primeiro-Ministro tiveram o cuidado de enfatizar o fato de que eles não iriam comparecer ao Shunto nos próximos anos, assim criando mais valor na negociação ao cumprir o prometido.
  4. Obter concessões que levam às concessões– A Toyota foi a maior das partes interessadas a se comprometer a aumentar os salários. Observadores externos creditaram a concessão da gigante como um divisor de águas que levou muitas outras empresas a seguir o exemplo. Em uma negociação complexa, com muitas partes interessadas, a obtenção de um líder de um lado para fazer uma concessão pode aumentar as chances de um acordo por meio do fortalecimento de coalizões e consequentemente diminuir o medo.
  5. Deixe que os partidos definam suas próprias concessões– Abe seria rotulado de Líder Autocrático se exigisse o cumprimento salários específicos. Em vez disso, ele incentivou concessões, porem evitou muitos detalhes, permitindo que as empresas individualmente negociassem uma série de questões com os trabalhadores.
  6. Mantenha suas celebrações para si – Uma vitória suada em uma negociação pode parecer justa causa para se comemorar, mas Abe evitou um discurso que poderia constranger os líderes empresariais. Em qualquer negócio, as chances são altas de você se encontrar com um ex-adversário novamente. Assim a probabilidade de que você precise do apoio dele não é descartada. Numa vitória deve-se sentir bem, mas não demonstrar prazer publicamente com a vitória.

Veja também Aprenda a lidar com conflitos e seja um líder de destaque

The following two tabs change content below.
Trabalha há mais de 35 anos no mercado, sendo que nos últimos 17 anos em Educação Corporativa e Vida Acadêmica com Estratégias de Negociação, Mediação, Gestão de Conflitos, Gestão de Pessoas, Gestão Organizacional e Desenvolvimento de Forças de Vendas.
Share This