Aprenda a lidar com conflitos e seja um líder de destaque

Aprenda a lidar com conflitos e seja um líder de destaque

Não fuja dos conflitos e seja um líder de destaque

Cada vez mais, os empregadores estão contratando e promovendo os líderes que são hábeis em lidar com o conflito, em vez de evitá-lo.
Em uma tentativa de combater a cultura da “harmonia artificial”, por exemplo, a Southwest Airlines está agora procurando ativamente promover gerentes de nível médio para cargos executivos com base em parte de sua capacidade de trazer conflitos à superfície e efetivamente resolver os conflitos.
As empresas começaram a reconhecer que os líderes que evitam o confronto tendem a adiar decisões difíceis e permite que os problemas se agravem.
Gerentes muitas vezes temem dar feedback honesto; como resultado, eles acabam mascarando a má notícia ou mesmo evitando avaliações de desempenho completamente.

Para tornar a tarefa de dar feedback e abordar o conflito menos assustador, separei três situações difíceis:

  1. Situação-“O que aconteceu?”
    A discussão é sobre a substância de um conflito e o que cada parte percebe sobre este ponto. Neste caso deve-se destinar e separar o impacto da intenção. Se um funcionário reclama de outro funcionário que esta humilhando-o é importante descobrir a intenção da pessoa que está sendo acusada. Nós muitas vezes tiramos conclusões falsas sobre as intenções dos outros por isso é importante ficar atento e saber separar o impacto da intenção.
  2. Situação –“Sentimentos”.
    As emoções desempenham um papel importante nos conflitos. Sábios negociadores abrem espaço a outra parte para saber seus sentimentos. A maneira mais eficaz é fazendo a prática de escuta ativa, que envolve parafrasear o que a outra pessoa tenha dito o mais exato possível, fazendo perguntas abertas destinadas a revelar motivações e interesses da outra pessoa, e reconhecendo suas emoções e preocupações.
  3. Situação-“Identidade”.
    Nossas preocupações mais profundas sobre a nossa identidade, muitas vezes podem ser encontradas na raiz de nossos conflitos com os outros. Tais preocupações de identidade incluem perguntas sobre se somos competentes, respeitados e éticos. Considere se o conflito pode ameaçar como os litigantes se veem, em seguida, ajude-os a manter a autoimagem positiva oferecendo sugestões de melhoria.
    Porem um Feedback honesto e útil pode ser tão difícil de aceitar quanto para se entregar, como dizem os autores, Douglas Stone e Sheila Heen, em seu livro, The Science and Art of Receiving Feedback Well (Portfolio Penguin, 2014).
    Nossos próprios “pontos cegos” de negociação pessoal e resolução de disputas, como por exemplo, um temperamento ruim ou extrema sensibilidade, pode nos impedir de estar abertos a receber feedback e resolver conflitos, de acordo com Stone e Heen. Para superar estes “pontos cegos” e seguir em frente, devemos considerar a possibilidade de que os outros identifiquem algo sobre nós que não podemos ver. Peça esclarecimentos e tenha paciência enquanto você aprende mais sobre seus pontos cegos e tenta melhorar sua performance.

Dê sua opinião e ajude divulgar o Blog

Quatro dicas para eliminar as diferenças de gênero na negociação

Quatro dicas para eliminar as diferenças de gênero na negociação

Quatro dicas para eliminar as diferenças de gênero na negociação

Aqui deixo quatro dicas e técnicas de negociação para eliminar as diferenças de gênero na negociação. Estas sugestões podem ajudar a prevenir para que o gênero não se tornar um fator significativo na negociação:

  1. Técnica de Negociação- Antecipe gatilhos de gênero relacionados em cenários de negociação.

Algum grau de ambiguidade está presente em todas as negociações, para estar ciente das situações que podem desencadear os estereótipos de gênero ou expectativas no papel.

Trabalhar para contrariar gatilhos de gênero, ou usá-los para beneficiar o desempenho de negociação utilizando técnicas de negociação para minimizar expectativas de gênero na mesa de negociação.

Em ambientes altamente competitivos e ambíguos, por exemplo, os homens podem ser incentivados a maximizar seus resultados pela elevação de sua unidade.

As mulheres, por outro lado, podem ser inspiradas por lembretes de que eles estão representando não apenas a si mesmos, mas seus colegas, departamento, empresa ou clientes.

  1. Estratégia de Negociação- Comece por sua casa.

Se você é um homem ou uma mulher, aprender o máximo que puder sobre o que é possível ou apropriado quando se dirigem para uma negociação salarial ou negociações de contratos é importante. Pesquisar as normas da indústria, investigar precedente, e falar com outras pessoas que já estão empregados na empresa ou na indústria ajudará e muito.

O mais importante, não tenha medo de pedir o que você precisa para começar o trabalho bem feito. Você e sua organização irá melhorar a longo prazo.

  1. Estratégia de Negociação- Crie transparência em torno de Remuneração e Benefícios.

Para incentivar a equidade de gênero com relação à compensação e desenvolvimento de carreira, sua empresa deve codificar e publicar as oportunidades e benefícios que podem estar dispostos a oferecer.

Isso não significa padronizar benefícios para todos os empregados, mas esclarecer a uma série de questões que estão acima da negociação e os critérios adequados em que se baseiam as decisões.

  1. Técnica de Negociação-Articule as expectativas de desempenho.

Ao enviar seus funcionários em situações de negociação competitiva, indicar claramente as metas de desempenho. Armado com informação comparativa transparente e um senso de alvos aceitáveis, tanto os homens como as mulheres vão atingir melhores resultados.

Definir aspirações elevadas, mas razoáveis ​​é bom para todos os negociadores e pode ser especialmente benéfico para as mulheres em ambíguas negociações competitivas, porque os tipos de poder de negociação nas mulheres está diretamente influenciada por outros fatores, tais como o seu gênero.

Dê sua opinião ela é  muito importante e ajude divulgar o Blog.