4 maneiras de gerenciar conflitos no trabalho

Para resolver efetivamente os conflitos no local de trabalho, precisamos superar a tendência de culpar e acusar. Em vez disso, ouça ativamente e concentre-se na solução conjunta de problemas.

Samantha estava lívida. Ao fazer uma apresentação durante uma reunião em que ambos participaram, Brad, um novato em seu departamento, compartilhou alguns slides durante uma apresentação claramente baseados em ideias para um projeto que ela compartilhou com ele em particular, sem dar seu crédito.

Samantha confrontou Brad furiosamente em seu escritório após a reunião; ele ficou na defensiva e negou a acusação. Eles estavam em um impasse. Como eles devem gerenciar conflitos no local de trabalho?

Os conflitos no local de trabalho acontecem todos os dias e em todos os cantos do globo. Embora existam algumas medidas que podemos tomar para evitar as causas do conflito, o conflito ainda surgirá de tempos em tempos no trabalho. As estratégias a seguir podem ajudá-lo a se engajar na resolução eficaz de conflitos no local de trabalho.

  1. Não resolva por conta própria. 

Os funcionários geralmente pioram as coisas quando tentam resolver conflitos por conta própria.

Como nossas percepções são baseadas no interesse próprio, é provável que tenhamos dificuldade em encontrar soluções que ambas as partes considerem justas.

Além disso, as pessoas tendem a aumentar seu compromisso com o conflito, levando a uma animosidade cada vez mais profunda.

Se você tiver conflitos no local de trabalho, devido a um problema de personalidade ou desacordo em relação a um trabalho, peça a ajuda de um gerente – alguém em quem confie para lidar com o conflito de maneira confidencial e eficaz.

  1. Ouça ativamente. 

Em meio a um conflito acalorado, nosso primeiro instinto é defender a nós mesmos e a nosso ponto de vista, enquanto atacamos a outra parte.

Essa mentalidade no campo de batalha não levará a lugar algum. Ao negociar conflitos no local de trabalho com outras pessoas, defina um tom produtivo deixando a parte com a qual você está discutindo falar primeiro.

Samantha, por exemplo, pode dar a Brad o tempo necessário para explicar o que aconteceu na reunião, resistindo ao desejo de interrompê-lo.

Ela poderia questionar sua compreensão do que ele disse até sentir que absorveu completamente a perspectiva dele.

Quando chegar a hora de expor sua própria perspectiva sobre o conflito, reivindique a mesma capacidade de expressar sua perspectiva sem interrupção.

Concentre-se em explicar como você vê a situação, apresentando evidências concretas, se necessário.

  1. Não deixe emoções fora da equação. 

Também pode ser importante falar sobre os sentimentos que você experimentou ao lidar com conflitos no local de trabalho.

Expressar as emoções profundas que um conflito pode gerar não só pode ser catártico, mas também deve ajudar a outra parte a vê-lo como um ser humano multifacetado, e não como o “inimigo”.

Suas divulgações podem levar a outra parte a se abrir sobre seus próprios sentimentos em relação ao conflito.

Por exemplo, Samantha pode explicar que sentiu não apenas raiva, mas traição e mágoa depois de acreditar que Brad roubou suas ideias.

Brad pode, por sua vez, revelar que admira o sucesso de Samantha e estava tentando imitar o estilo dela, apenas para se sentir humilhado quando o acusava de roubo de ideias.

Ao se abrir sobre suas emoções durante a gestão de conflitos, os disputantes expandem sua compreensão um do outro.

  1. Capitalize as diferenças. 

Nas negociações comerciais, podemos capitalizar nossas diferentes necessidades e preferências para criar valor.

Se um parceiro de negócios tiver mais dinheiro para contribuir antecipadamente, e o outro espera poder contribuir mais tarde, eles podem estruturar o financiamento para aproveitar ao máximo essa diferença.

Da mesma forma, os funcionários envolvidos em conflitos no local de trabalho geralmente podem aproveitar suas diferenças para criar valor.

No conflito, o principal interesse de Samantha reside em obter crédito por suas ideias, enquanto Brad está em ganhar estatura na organização.

Se o gerente deles gostar disso, ela pode recomendar que Samantha e Brad trabalhem juntos nas ideias iniciais de Samantha e tentem colaborar para promovê-las.

Em uma reunião de equipe de acompanhamento, o gerente pode dar crédito onde é devido (a Samantha), e Samantha poderia, tacitamente, apoiar Brad fazendo uma parceria com ele no projeto.

Ao lidar com conflitos no local de trabalho, capitalizar as diferenças pode ajudar os funcionários a fazer a transição de disputantes para negociadores, focados na solução de um problema conjunto para benefício mútuo.

Ao determinar como gerenciar conflitos no trabalho, é importante lembrar que, quanto mais rapidamente você puder trocar uma atitude combativa por uma mentalidade de solução de problemas, maior será a probabilidade de resolver a disputa de maneira amigável.

Ao levar técnicas comprovadas de negociação à sua disputa, incluindo escuta ativa, habilidades de inteligência emocional e criação de valor, você poderá transformar seu conflito no local de trabalho em uma relação de trabalho produtiva.

Que outras estratégias você usou para resolver efetivamente os conflitos no local de trabalho?

The following two tabs change content below.
Trabalha há mais de 35 anos no mercado, sendo que nos últimos 17 anos em Educação Corporativa e Vida Acadêmica com Estratégias de Negociação, Mediação, Gestão de Conflitos, Gestão de Pessoas, Gestão Organizacional e Desenvolvimento de Forças de Vendas.
Checklist -10 passos para Resolução de Conflitos

Checklist -10 passos para Resolução de Conflitos

Muitas vezes, a resolução de conflitos pode ser um processo amargo e improdutivo. Por isso planejamos estes 10 passos para Resolução de Conflitos que podem ajudar a encontrar maneiras criativas de alcançar acordos mutuamente satisfatórios. Acompanhe no seu computador e compartilhe imprimindo para sua equipe.

Obrigado pelo interesse. Logo você receberá um e-mail com o Checklist

Share This